Perseverança e conteúdo para a internet

Se não fosse a minha perseverança e criação de metas muito bem traçadas, acho que eu já teria desistido de produzir conteúdo para a internet. Entretanto, querer algo significa correr muito atrás.

Eu amo produzir conteúdo. Escrever, gravar vídeos, editar imagens, criar novos layouts. Eu gosto de estar conectada desde 2002, quando criei o meu primeiro blig. Eu não sabia muito bem o que estava fazendo, mas estava ali criando minha primeira plataforma de contato com o mundo virtual.

Meu conteúdo dizia respeito sobre minha vida cotidiana e eu recebia um número interessante de comentários. Não era famosa, mas me sentia bem quando as pessoas liam o que eu tinha a dizer, mesmo que muitas vezes fossem apenas bobagens de uma adolescente. Eu nunca parei desde lá.

Relutei muito até criar um perfil no fotolog. Eu pensava que imagens tirariam o foco do texto, que as fotos eram muito superficiais e que os blogs tinham mais substância. Uma bobagem da minha parte, mas depois que fiz meu primeiro fotolog levei ele a sério por um bom tempo. No entanto, minha vontade de manter o blog não morreu ali. Eu já havia criado vários outros, com outros nomes, com outros assuntos, pra poder continuar escrevendo. Eu sempre tive muito a dizer e queria continuar com a plataforma escrita, como continuo até hoje. Muitas vezes só as palavras traçadas são capazes de dizer o que nós temos por dentro.

No Orkut, criei duas comunidades grandes, sendo que as duas tinham por tema o Chaves. Como boa fã que sou, dediquei meu espaço na querida e antiga rede social a eles. Violar Tocão teve 11 mil membros, e Nasca de Bacana teve 7 mil. Um bom número para alguém que não tinha tanta visibilidade.

Além disso, criei um perfil no Twitter para um dos meus escritores favoritos, o muito controverso Henry Charles Bukowski (@@hcbukowski). O perfil existe até hoje, e conta com quase 8 mil seguidores. A maioria desses seguidores, provavelmente, não é mais ativo, pois com os anos as pessoas desistem e simplesmente abandonam as redes sociais que não usam mais. Apesar de eu não postar mais com tanta frequência naquele perfil, algumas vezes me bate a vontade e eu posto algum conteúdo por lá.

Em 2012, criei a página Analista de Mídias Sociais da Depressão no Facebook. Ela não está mais no ar, mas produzir conteúdo para essa página abriu portas em diversos locais para mim. Ao mesmo tempo, muitas pessoas não concordavam com seu conteúdo e, em 2014, eu parei de postar por lá. No seu auge, a AMSD chegou a ter 65 mil likes, um número extremamente considerável. Fizemos parcerias, escrevi artigos e participei de alguns eventos devido a ela. Nessa época, criei o domínio que vocês veem hoje e escrevia sobre marketing e publicidade para o meu blog, mas devido a tempo acabei parando e mudei meu foco.

Em 2015, comecei o projeto do blog Chofer de Madame, que era voltado a entretenimento e humor. Eu estava realmente animada de fazer esse tipo de conteúdo. Eu realmente AMO escrever, principalmente se for pra fazer as pessoas rirem. No entanto, eu engravidei e estava constantemente cansada e com sono. Também estava passando pelo processo de transição para entender que iria mudar de país, e mais uma vez eu parei com o blog.

Em maio de 2016, criei o meu canal do YouTube. Foi o meu projeto mais audacioso até então. Eu trabalhava apenas com texto escrito ou imagens, a única vez que eu tinha aparecido em frente às câmeras foi quando estagiei na TV Rocinha, e eu era bem ruim, diga-se de passagem. Quando eu comecei no YouTube eu não entendia nada daquela plataforma. Eu nem via outros youtubers, eu era completamente leiga e inexperiente, mas eu topei a empreitada e fui pra frente. Demorei a entender o que eu tinha que melhorar, demorei a entender por que meus inscritos não aumentavam, e hoje eu finalmente cheguei à marca dos mil inscritos. E esse é só o começo.

Por que eu contei isso tudo? Porque eu acredito que existam outras pessoas com a mesma vontade, mas não a mesma perseverança. Se você acredita, se você também acha que tem muito a dizer, não desista. Faça acontecer, um dia a gente chega lá. Eu estou aqui na luta agora pelos 5 mil inscritos no meu canal e não vou parar até chegar lá, e depois traçar metas maiores.

Posts relacionados